22 de julho de 2020

Canudos de plástico passam a ter distribuição proibida em Pernambuco

Closeup of Colorful drinking straws background.

Foi aprovada uma lei que proíbe a distribuição gratuita de canudos de plástico de maneira gratuita em estabelecimentos comerciais do estado de Pernambuco.

De acordo com o Diário Oficial do Legislativo desta terça-feira (21), os estabelecimentos terão um prazo para adequação até 1º de janeiro de 2022.

A partir da data, os estabelecimentos terão que disponibilizar outros tipos de canudos, de papel ou material degradável aos clientes, ou ainda de produtos como metal ou vidro, caso haja a necessidade de utilização por pessoa com necessidades especiais.

Até a proibição, a lei determina que os estabelecimentos deverão promover o uso de canudos biodegradáveis, reutilizáveis ou de papel aos clientes.

O descumprimento da lei, implicará em multas, suspensão de atividades e interdição de estabelecimentos.

Postado por: Walter Miro

8 de julho de 2020

Esgotamento sanitário de Santa Cruz do Capibaribe entra em funcionamento após conclusão de obras

Estação de Tratamento é a segunda maior do interior do estado (Jefferson Lulu)

Após investimentos do Governo do Estado na ordem de R$ 100 milhões, as obras do Esgotamento Sanitário de Santa Cruz do Capibaribe foram concluídos. Neste mês de junho, todo o complexo construído foi testado e aprovado, com início de suas operações de maneira oficial no dia 02 de junho.

O empreendimento é a segunda maior Estação de Tratamento do interior do estado de Pernambuco e conta com tecnologia completa e avançada. 
Para o deputado Diogo Moraes (PSB), representante do Polo de Confecções do Agreste na Alepe por três mandatos consecutivos, o Esgotamento Sanitário é uma das maiores obras de infraestrutura em Santa Cruz do Capibaribe.

“Há pouco mais de um ano, anunciávamos esta grande obra. Como nosso trabalho e do governador Paulo Câmara é sério, hoje esta grande obra está aqui pronta para beneficiar cerca de 200 mil pessoas e sanear 100% o município, além de despoluir o Rio Capibaribe, garantindo a preservação do meio ambiente”, destacou o parlamentar.

De acordo com a Compesa, a estrutura conta com a capacidade total para tratar 360 litros por segundo, tratando inicialmente 120 litros por segundo. O deputado comemora ainda o fato de que a Estação de Tratamento conta com dois grandes diferenciais.

“Esta estação é a segunda maior estação de tratamento de esgoto do interior do estado de Pernambuco. Possui tecnologia completa e avançada, sendo capaz de remover tanto matéria orgânica quanto nutrientes. Nem toda estação consegue fazer isso. A ETE ainda tem um recurso de aplicação de cloro para eliminar microorganismos. E após todo esse processo de tratamento a água fica límpida e é lançada  no rio”, detalha Diogo.

Segundo Bruno Adelino, gerente regional da Compesa, na primeira etapa do projeto, a responsabilidade do tratamento do esgoto na parte da cidade é da Prefeitura Municipal e a Compesa vai operar as demais localidades.

“Foi construída a Estação de Tratamento, 4 Estações Elevatórias e 8 interceptores, que são tubulações margeando o Rio Capibaribe e os principais córregos da cidade. Na segunda etapa deste projeto, a Compesa ficará responsável por toda a região incluindo a cidade”, explica o gestor.

Como funciona o esgotamento sanitário

Segundo a Compesa, o processo conta com várias etapas. O início é na coleta do esgoto na margem do Rio Capibaribe. O esgoto coletado passa pela tubulação e é direcionado para as estações elevatórias, que recebem os resíduos e os bombeiam para a Estação de Tratamento (ETE). A rede de tubulação conta com 20km de extensão que envia para 4 estações elevatórias, até chegar na estação de Santa Cruz no bairro do Oscarzão. Após todo o processo, a água sai tratada e límpida, podendo ser devolvida ao rio.

Assessoria

Postado por: Walter Miro

25 de maio de 2020

Jucazinho ultrapassa 30% de sua capacidade total

Responsável pelo abastecimento d’água de boa parte do agreste de Pernambuco, a barragem de Jucazinho, localizada no município de Surubim, chegou a 33% de sua capacidade.

Com chuvas recentes, o manancial com capacidade para acumular 204 milhões de metros cúbicos, está com um volume de 67.

As informações foram divulgadas no final de semana pela Agência Nacional de Águas (ANA).

Postado por: Janielson Santos

30 de abril de 2020

Barragem do Prata ultrapassa 60% de sua capacidade total; Jucazinho 30%

Informações divulgadas recentemente pela Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) apontam que a Barragem do Prata, localizada em Bonito, está com 60,32% de sua capacidade total.

Já a Barragem de Jucazinho, em Surubim, que saiu do pré-colapso recentemente, está com 30,72% de sua capacidade total.

Os mananciais são responsáveis pelo abastecimento hídrico na região agreste de Pernambuco. De acordo com as previsões do órgão, chuvas nas próximas semanas devem aumentar esse quantitativo.

Postado por: Janielson Santos

28 de abril de 2020

Chuvas no agreste – Barragem está perto de sangrar em Belo Jardim

A Barragem do Ipojuca, localizada em Belo Jardim, está perto de verter. Com as últimas chuvas na região, o manancial ultrapassou pouco mais de 94% de sua capacidade.

A última vez que a barragem sangrou foi em 2011. A expectativa é que isso possa voltar a acontecer nos próximos dias.

A barragem é responsável por abastecer as cidades de Belo Jardim, Sanharó, Tacaimbó e São Bento do Una.

Postado por: Janielson Santos

30 de março de 2020

Açude da Manhosa, em Santa Cruz, se aproxima da capacidade máxima

A construção civil avançou ao longo dos anos e o açude da Manhosa hoje fica próximo ao bairro Santo Agostinho (Fernando Lagosta)

Com mais de 50 anos de existência, o açude da Manhosa, em Santa Cruz do Capibaribe está prestes a atingir sua capacidade máxima.

Atualmente o reservatório de pequeno porte, que fica dentro do perímetro urbano do município não serve para o abastecimento da população, suas águas servem apenas para a construção civil.

Com as chuvas dos últimos dias, o açude recebeu um grande volume de água e a situação preocupa os moradores do entorno, pois os caminhos por onde a água seguiria seu curso após atingir sua capacidade máxima estão obstruídos por entulhos, fazendo com que o caminho fique mais estreito e aumentando os riscos de alagamento em casas próximas ao reservatório.

A Secretaria de Habitação e Serviços Públicos monitora a situação e deverá ordenar a limpeza do local para que não sejam causados transtornos à população.

Postado por: Walter Miro

30 de março de 2020

Brejo da Madre de Deus registra chuvas em 16 localidades do município

A paisagem nos últimos dias nas barragens que abastecem Brejo da Madre de Deus é animadora para a população, com níveis elevados (Alisson Mesquita)

Nas últimas 24 horas, várias cidades do Agreste registraram chuvas em intensidades diferenciadas, mas que ajudam a manter os reservatórios recebendo recargas e limpando o leito de rios como o Capibaribe, que corta grande parte do estado.

Em Brejo da Madre de Deus, 16 localidades do município, em sua sede e zona rural tiveram precipitações registradas, sendo o distrito de São Domingos o local onde houve mais acúmulo de água (70 milímetros).

Confira os índices das 16 localidades:
São Domingos – 70 mm

Assentamento Garrote – 60 mm

Assentamento Miguel Velho – 45 mm

Assentamento Baraúnas – 42 mm

São Paulo – 38 mm

Poços (Fazenda Nova) – 32 mm

Lagoa de Pedra – 30 mm

Queimadas – 28 mm

Tambor – 26 mm

Bandeira – 22 mm

Brejo Sede (IPA) – 18 mm

Estrago (IPA) – 18 mm

André Luiz (Poço Fundo) – 15 mm

Açudinho – 13 mm

Amaro de Cima – 12,5 mm

Amaro (Centro) – 11 mm

Postado por: Walter Miro

30 de março de 2020

Santa Cruz do Capibaribe registra segunda maior chuva do ano

Açude de Poço Fundo está com sua capacidade máxima há mais de uma semana em virtude das chuvas do período (Jefferson Lulu)

Neste domingo (29), o final de tarde foi de fortes chuvas em Santa Cruz do Capibaribe, alagando canais, aumentando o nível do Rio Capibaribe e deixando pessoas de áreas de risco em alerta.

No total, foram registrados nas chuvas de ontem 67 milímetros no pluviômetro instalado no Parque Florestal, chegando a 70 em outros pontos da cidade. A quantidade foi inferior ao registrado no dia 22 de março deste ano, quando foram 72.19 milímetros de chuva.

Alguns reservatórios de água da região já estão vertendo, e outros responsáveis pelo abastecimento de várias cidades como os açudes de Jucazinho e Tabocas estão recebendo significativas recargas, o primeiro registra de acordo com dados da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), um volume de 21%, enquanto a segunda barragem a última aferição apresenta 44,4 % de sua capacidade.

Mesmo com os níveis atuais em crescimento, é necessário que a população mantenha hábitos econômicos com relação ao uso de água, evitando o desperdício deste recurso.

Atualizada às 16h39*

Postado por: Walter Miro

9 de março de 2020

Moradores reclamam de desorganização no aterro sanitário de Santa Cruz do Capibaribe
Moradores denunciaram incêndios que aconteceram no aterro sanitário com frequência (Luiz Carlos Roger)

Interditado desde o início do ano, o aterro sanitário de Santa Cruz do Capibaribe segue trazendo transtornos para a população. Situado nas imediações do sítio Pintor, zona rural do município, o local não pode mais receber os dejetos da população, mesmo assim, frequentemente alguns sacos contendo lixo são encontrados no local, inclusive no seu acesso, sujando a estrada e podendo causar acidentes.

Nos últimos dias foi verificada a presença de incêndios no local, geralmente apagados pelos próprios moradores, que temem que as chamas cheguem a maiores proporções, atingindo a vegetação próxima ao aterro.

Moradores do sítio Pintor dizem que a situação de pessoas atirando bolsas de lixo na estrada começou após a retirada de profissionais que atuavam no local controlando a entrada de veículos.

Em conversa com o Blog Polo+, o secretário de serviços urbanos e habitação, Flávio Dunda, adiantou que a partir desta terça-feira (10), a Guarda Civil Municipal irá assegurar que ninguém deverá invadir o local para colocar ainda mais lixo na área do aterro, bem como na estrada desde o Moda Center Santa Cruz até o acesso ao sítio Pintor, a segurança será reforçada em rondas da Polícia Militar.

A empresa que fazia a coleta do lixo no município será responsável pelo esvaziamento da área e transportado para um local adequado com a devida segurança. Ainda haverá fiscais para garantir que novas cargas de lixo não sejam levados até o local.

Postado por: Walter Miro

5 de março de 2020

Seca: Santa Cruz do Capibaribe, Brejo e Toritama estão entre municípios em situação de emergência

Ao todo 115 cidades de Pernambuco se encontram em situação de emergência, por causa da seca, 61 delas estão localizadas no agreste. A divulgação foi feita pelo governo federal. De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), este é o primeiro passo para que os municípios recebam verbas para obras e contratação de carros-pipa para amenizar os efeitos da estiagem.

A portaria foi publicada no Diário Oficial da União. A situação de emergência é válida por 180 dias, servindo para conceder acesso a recursos federais para ações de socorro, assistência, restabelecimento de serviços essenciais e recuperação de infraestruturas danificadas.

Confira as cidades do agreste:

Agrestina, Águas Belas, Alagoinha, Altinho, Angelim, Belo jardim, Bezerros, Bom Conselho, Bom Jardim, Brejão, Brejo da Madre de Deus, Buíque, Cachoeirinha, Caetés, Calçado, canhotinho, Capoeiras, Casinhas, Cumaru, Cupira, Feira Nova Frei Miguelinho, Garanhus, Gravatá, Iati, Ibirajuba, Itaíba, Jataúba, João Alfredo, Jucati, Jupi, Jurema, Lagoa do Ouro, Lajedo, Limoeiro, Orobó, Paranatama, Passira, Pedra, Poção, Riacho das Almas, Sairé, Saloá, Sanharó, Santa Cruz do Capibaribe, Santa Maria do Cambucá, São Bento do Una, São Caetano, São João, São Joaquim do Monte, São Vicente Ferrer, Surubim, Tacaimbó, Taquaritinga do Norte, Terezinha, Toritama, Tuparetama, Venturosa, Vertente do Lério e Vertentes.

Postado por: Janielson Santos

4 de março de 2020

Estação de Tratamento de Esgoto está em fase de testes em Santa Cruz do Capibaribe
Obras devem ser concluídas ainda no mês de março e os testes nas quatro estações elevatórias e na estação de tratamento já estão sendo feitos (Revista O Empreiteiro)

Iniciadas no ano de 2017, as obras das Estações Elevatórias de Esgoto (EEE) e da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Santa Cruz do Capibaribe estão próximas da conclusão. A iniciativa, orçada em 100 milhões de reais, é uma ação do Governo do Estado, com financiamento do Banco Mundial, e deve captar as águas do Riacho Tapera, fazer a retirada dos resíduos e novamente lançada no Rio Capibaribe.

O repórter Luiz Carlos Roger esteve na EEE 02, situada ao lado da Ponte Velha e conversou com o engenheiro Inácio Freire, que assegurou que 99% das obras estão concluídas.

“A estação irá recolher os resíduos das casas, tornando a água novamente limpa, após este procedimento, a água será lançada novamente no curso natural do Rio Capibaribe, os testes de captação já estão sendo executados”, explicou Inácio.

Ao todo são quatro estações elevatórias, que irão recolher a água suja e encaminhar para a Estação de Tratamento de Esgoto. A conclusão da obra deve acontecer ainda no mês de março, todas as estações elevatórias já estão sendo testadas, bem como a ETE. 

Postado por: Walter Miro

20 de fevereiro de 2020

Consulta Pública discutirá criação de Monumento natural das serras do Pará e do Pico, em Santa Cruz do Capibaribe

A comunidade terá participação para expor suas demandas e comentar, por exemplo, maneiras de exploração econômica e sustentável a área (Divulgação)

No dia 4 de março, às 19h, a Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) promoverá uma consulta pública para criar uma unidade de conservação nas serras do Pará e do Pico, na zona rural de Santa Cruz do Capibaribe.

O projeto para a criação da unidade está sendo elaborado há cerca de um ano, e cinco cidades foram escolhidas para pleitear as unidades: Santa Cruz do Capibaribe, Brejo da Madre de Deus, Taquaritinga do Norte, Vertentes e Pombos.

Com a iniciativa, as cidades que conseguirem elaborar o plano poderão passar a explorar o turismo ecológico através de financiamento para exploração econômica sustentável, e as demandas serão indicadas para a criação também com a ajuda da comunidade local.

A gerência de meio-ambiente do município, através do gestor Gubetran Claudiomar, está conduzindo parte dos estudos para a criação do projeto em uma área de 1.373 hectares.

Exploração econômica

Em determinadas áreas de preservação ambiental não é possível a visitação, no entanto, a área pleiteada para Santa Cruz do Capibaribe não se enquadra neste modelo, sendo assim, um plano de manejo será elaborado para que possa ser explorada de maneira sustentável, gerando renda para a comunidade.

Diversidade de fauna

Além da área de mata e das elevações rochosas, inclusive com inscrições rupestres na Serra do Pará, existe na região uma ampla diversidade de animais, como saguis, onças, répteis, como cobras e lagartos, além de aves, como pica-paus, beija-flores e águias chilenas.

Esta variedade de animais se dá justamente pela preservação da vegetação, que proporciona a alimentação e abrigo para os mesmos.

Postado por: Walter Miro

31 de janeiro de 2020

Cobra de dois metros é capturada no Sítio Carrapicho, em Santa Cruz
Apesar de não ser um animal agressivo, os moradores se assustaram com a presença da cobra (Arnaldo Viturino / Bichos da Caatinga)

Na manhã de hoje (31) uma cobra da espécie Jiboia, de 2 metros de comprimento foi capturada no Sítio Carrapicho, zona rural de Santa Cruz do Capibaribe.

O réptil estava próximo as residências da localidade, quando a gerência de Meio Ambiente do município foi acionada para que levasse o animal para outra área, em vegetação nativa e afastada das residências. A cobra estava em busca de alimentos, e consumia os restos de comida descartados pelos moradores.

“Apesar do seu tamanho, a cobra é que estava correndo algum risco, e não os moradores, por se tratar de uma espécie dócil”, afirmou Marivaldo Andrade, gestor de Meio Ambiente

A Gerência de Meio Ambiente do município e a ONG Bichos da Caatinga se dirigiram ao local e capturaram a cobra, levando-a para uma área de preservação onde ela encontrará alimentação e água para sua sobrevivência.

Animal foi libertado em uma área de preservação ambiental, afastada de residências (Arnaldo Viturino / Bichos da Caatinga)

Postado por: Walter Miro

Ouça A Polo FM Ao vivo
Siga nossas Redes
Fale Conosco
error: Content is protected !!