Pesquisar

“Se Zeba tivesse aceitado ser o vice de Alessandra ou eu desistido da política para apoiar o grupo Taboquinha, isso não estaria acontecendo”, diz Capilé, sobre processos na Câmara

Segundo Capilé, um convite recente foi feito para chapa ‘Alessandra e Zeba’

Foto: Eliton Araujo / Blog da Polo

Na manhã dessa sexta-feira (21), o vereador Capilé falou, pela primeira, sobre novos assuntos polêmicos na Câmara de Vereadores de Santa Cruz do Capibaribe, envolvendo seu nome e do presidente Zeba Climério.

No dia anterior, vereadores derrubaram portaria do presidente, anularam votação de cassação contra Capilé, mas reabriram uma nova Comissão de Ética para analisar conteúdo da CPI contra o ex-presidente, acusado de irregularidades na reforma do Plenário da Casa de Lei (Veja aqui).

Capilé deixou evidente que não deve fazer defesa na Câmara e que tratará o assunto na justiça.

Ao afirmar que houve convite recente para que Zeba fosse vice de Alessandra Vieira, Capilé entende que os desdobramentos atuais não estariam acontecendo, caso o presidente tivesse aceito.

Em entrevista recente, Capilé chegou ao utilizar o termo ‘chantagem’ e falou novamente sobre suposto convite para integrar o grupo Taboquinha.

Pedido de destituição do presidente

Em relação a Zeba, os 14 parlamentares presentes aprovaram um requerimento protocolado pelo vereador Irmão Soares (PSD) que pede a destituição do presidente do poder legislativo municipal (veja aqui).

Zeba, Capilé e a vereadora Nega não estiveram presentes na sessão extraordinária.

O requerimento aprovado foi encaminhado à Comissão de Legislação e Justiça para ser transformado em um Projeto de Resolução, que deve ser apresentado na sessão de terça-feira (25). Caso haja aprovação, Zeba pode ser afastado das funções enquanto o processo tramita na Câmara.

A entrevista de Capilé à Rádio Polo, aconteceu no programa Cidade Notícia. Confira abaixo, na íntegra:

Compartilhe agora essa notícia!

Facebook
WhatsApp
Twitter