25 de abril de 2021

As curtinhas com Romenyck Stiffen

 

O mergulho

O mergulho: Público e notório que o ex-prefeito José Augusto Maia (REPUBLICANOS) mergulhou do cenário político. Poderíamos até acreditar que o mesmo estaria passando o bastão do protagonismo aos filhos Augusto Maia (PSB), vereador situacionista, e Tallys Maia (REPUBLICANOS), Diretor do PROCON de Santa Cruz do Capibaribe, estando conformado com a atuação de ambos na defesa e atuação da gestão Fábio Aragão, mas não é o que nossas fontes apontam nos bastidores.

Triste: Informações dão conta que José Augusto Maia estaria chateado com o “gelo” que estaria tendo por parte do prefeito Fábio Aragão, pois uma reunião entre ambos ocorreu há mais de mês e nenhuma resolução da mesma haveriam ocorrido até então, mas, sim, um certo distanciamento.

Cadê ele?: Alguns eventos foram realizados pela gestão Fábio, principalmente os de 100 dias de governo, e a ausência de Zé foi sentida em comentários de bastidores pelos membros tradicionais do grupo. Informações seguras dão conta que nem convites existiram.

Ensurdecedor: Nome importante do grupo Taboquinha, o silêncio de Zé se torna ensurdecedor e se mal articulado seu posicionamento no tabuleiro político do prefeito Fábio Aragão e do grupo, pode ser um problema político interno sem precedentes para um governo que precisa urgentemente destravar a máquina e que até o momento ainda não se encontrou politicamente.

Preocupado: Informações de bastidores dão conta que José Augusto Mais estaria preocupado com o comportamento administrativo e político de Fábio nesses primeiros meses de governo, situação que já havia externado há mais de mês, precisamente em entrevista realizada no dia 24 de março, no programa “Cotidiano da Cidade“, na Filadélfia FM, de Taquaritinga do Norte.

Falta diálogo: Essa vem sendo a grita de vários vereadores de oposição de Santa Cruz do Capibaribe em relação à Gestão Fábio Aragão. Segundo os mesmos, o governo não estaria se atentando que tem apenas quatro vereadores de situação e que precisaria puxar a Câmara de Vereadores para construção do diálogo em matérias importantes para o munícipio.

Má condução: Perceptível que houve uma má condução no projeto do parcelamento da previdência, ocasionando uma derrota do governo na Casa de Leis. Dentro desse contexto, os vereadores de oposição sentiram o momento político e administrativo do governo e estão forçando essa “construção do diálogo” em matérias importantes, a exemplo do projeto do Matadouro e do importantíssimo projeto do Auxílio Emergencial Municipal.

Dosagem: Os vereadores de oposição estão fazendo seu papel no processo de discursão, só é necessário saber a dosagem para não engessar o governo, nem ocasionar desgaste aos próprios. Fato que ocorreu na legislatura passada, quando os vereadores usaram a estratégia de zerar o remanejamento da gestão do prefeito Edson Vieira (PSDB) e todo fardo no final foi dividido nas costas do legislativo, até mesmo em coisas que não eram de sua orçada.

Ameaças?: A vereadora Jéssyca Cavalcanti (PSDB) apontou no programa “Oposição em Ação” do último sábado, 25/04, que sofreu ameaças devido às suas ações parlamentares. O relato da vereadora foi feito de forma superficial, destacando que ocorreu em uma conversa e, sem citar nomes, que a pessoa alegou “saber” coisas de sua vida pessoal para expor. Resta saber se a vereadora saíra do campo da superficialidade e irá expor toda situação, denunciando o ocorrido e destacando principalmente nomes.

As opiniões expressas são de responsabilidade de seu autor

Postado por: Eliton Araujo

Ouça A Polo FM Ao vivo
Siga nossas Redes
Fale Conosco
error: Content is protected !!