23 de julho de 2021

Jéssyca e Ernesto lançam suspeitas sobre locação de UTI Móvel; prefeitura de Santa Cruz e empresa Medlife rebatem em notas

A vereadora Jessyca Cavalcanti e o ex-vereador Ernesto Maia, realizaram denúncia contra a prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe, em virtude de locação de uma ambulância UTI Móvel a uma empresa localizada no Recife. De acordo com a dupla, o valor está acima da locação feita para outras cidades e lançam dúvidas sobre a existência empresa, ao afirmar que no endereço indicado no contrato, está localizado “um prédio desocupado, sem qualquer sinal de funcionamento ou de que ali chegou a funcionar a empresa Medlife”.

“Tivemos acesso a contratos firmados pela Medlife para a locação de UTI Móvel em outras cidades, onde o valor mensal foi de em média 15 mil reais, sendo um montante bem abaixo do cobrado em Santa Cruz do Capibaribe!”, diz vereadora Jessyca Cavalcanti, ao indicar que para Santa Cruz, o valor mensal foi de R$ 22 mil. 

“A Prefeitura locou um ambulância, através de dispensa de licitação, de uma empresa com endereço suspeito e com o preço 50% acima do mercado. O prefeito Fábio Aragão deve explicações ao povo de Santa Cruz do Capibaribe”, pontuou Ernesto Maia, acrescentando que o contrato teria duração de 3 meses. 

Resposta 

Ao rebater a denúncia, a prefeitura lançou nota assinada pela Secretaria de Saúde onde alega que realizou cotação de preço e contratou a empresa com valor mais em conta para o município, com equipamentos necessários ‘para salvar vidas’. “MedLife existe, é legal e apta para oferecer o serviço”, diz trecho do comunicado.

A prefeitura apontou as dificuldades no período de pandemia, apenas com uma UTI Móvel, afirmando que o ‘cenário pedia uma medida urgente, legal e transparente para preservar vidas’.

“A gestão fechou o contrato com a empresa MedLife que forneceu o menor valor mensal, 24 horas por dia, incluído o seguro do veículo e a reposição imediata em caso de manutenção. 

Além disso, a gestão disse ‘lamentar atitudes de denuncismo sem apresentar argumentos plausíveis que justifiquem esse posicionamento totalmente equivocado, beirando a falta de responsabilidade com o povo e com os profissionais da saúde’. Confira na íntegra:

Em relação a suposta denúncia apresentada pela vereadora Jessyca Cavalcanti e o ex-vereador Ernesto Maia, questionando a existência da empresa de locação de UTI Móvel e o valor mensal que o município locou o equipamento, a Secretaria de Saúde de Santa Cruz do Capibaribe informa que recebeu as afirmações com grande estranheza. Desde o agravamento da pandemia do novo coronavírus onde fomos afetados gravemente com a segunda onda do vírus, passamos a enfrentar dificuldades com a transferências de pacientes em estado grave para outras unidades. Estes pacientes dependiam da disponibilização de uma UTI Móvel do município e outra disponibilizada pelo Governo do Estado, não sendo suficientes para a grande demanda de transferências. Além disso, é importante destacar que recebemos uma cidade com mais de 100 mil habitantes com apenas uma Unidade de Terapia Intensiva Móvel, durante o período mais crítico da pandemia.

O cenário pedia uma medida urgente, legal e transparente para preservar vidas, uma vez que o município possuía apenas um equipamento e o processo para aquisição leva um certo tempo, que para um paciente necessitando de Unidade de Terapia Intensiva é crucial. Realizamos todas as cotações necessárias e mesmo com a grande dificuldade em encontrar UTI Móveis disponíveis, recebemos três propostas, uma no valor de R$ 60 mil, outra de R$ 35,5 mil e a última no valor de R$ 22 mil. Não se trata de uma simples ambulância, todas as cotações se referem ao veículo de UTI Móvel equipado com materiais para intubação, bomba de infusão, cilindros de oxigênio, monitor cardíaco, desfibrilador, aspirador e mais uma série de equipamentos, primordiais para salvar vidas.

A gestão fechou o contrato com a empresa MedLife que forneceu o menor valor mensal, 24 horas por dia, incluído o seguro do veículo e a reposição imediata em caso de manutenção. A empresa MedLife existe, é legal e apta para oferecer o serviço. Está situada na Avenida Norte Miguel Arraes, número 2338, no bairro Encruzilhada, na cidade do Recife, tendo prestado serviços para instituições sérias como o Imip e o Hospital Mestre Vitalino, em seus três anos no mercado. Paralelo a esse procedimento, iniciamos o processo de compra de duas UTIs Móveis para a frota da Saúde de Santa Cruz do Capibaribe, fato nunca ocorrido na nossa história. Nos próximos meses, esses dois equipamentos estarão à disposição da população.

Por fim, ressaltamos nosso compromisso em oferecer o melhor serviço, a maior atenção à população de Santa Cruz do Capibaribe com respeito e zelo ao dinheiro público. Lamentamos profundamente essas atitudes de denuncismo sem apresentar argumentos plausíveis que justifiquem esse posicionamento totalmente equivocado, beirando a falta de responsabilidade com o povo e com os profissionais da saúde, tão fundamentais nesse tempo que estamos vivenciando. Reiteramos que o maior intuito da gestão é salvar vidas e não mediremos esforços para isso. É nítida a tentativa apenas de desvirtuar, conturbar e prejudicar a gestão em face de uma série de anúncios de conquistas e melhorias para a Saúde Pública de Santa Cruz do Capibaribe.

Posição da MEDLIFE SAÚDE

A empresa contratada também emitiu nota que fala em ‘citação caluniosa’ e ‘denúncia infundada’, por parte de Jéssyca e Ernesto, garantindo que não foi procurada pelos dois.

Fundada em 2018, a empresa sustenta que a vereadora e o ex-vereador ‘fizeram exposição de contratos cujos itens divergem das especificações das ambulâncias locadas pela prefeitura de Santa Cruz’.

Por fim, a MEDLIFE garante que ‘tomará as medidas cabíveis contra os denunciantes’. Confira:

Postado por: Janielson Santos

Ouça A Polo FM Ao vivo
Siga nossas Redes
Fale Conosco
error: Content is protected !!