12 de janeiro de 2022

Caso Beatriz Mota: Suspeito de homicídio contra menina de sete anos cometido em 2015 será apresentado hoje pela SDS

 

Menina foi morta no colégio onde estudava, enquanto acompanhava a formatura da irmã mais velha (Acervo Pessoal da Família)

 

Nesta terça-feira (11), a Polícia Civil de Pernambuco informou que conseguiu chegar ao nome do suspeito de assassinar a menina Beatriz Angélica Mota, à época com sete anos, no Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, na cidade de Petrolina, no Sertão.

No crime que chocou o estado, praticado no dia 10 de dezembro de 2015, a criança recebeu mais de 40 facadas dentro da escola onde estudava, pouco antes da formatura da irmã mais velha. Beatriz saiu para beber água e não voltou, seu corpo foi achado 30 minutos depois do seu desaparecimento.

De acordo com a Polícia Civil, o homem apontado como o autor do homicídio já estava preso por outros crimes e acabou confessando mais este assassinato. O suspeito é apontado também pela prática de estupro contra uma enteada, de 12 anos, crime cometido em Garanhuns, no Agreste, em 2011.

 

Os pais de Beatriz chegaram a realizar várias mobilizações cobrando pela investigação do crime (Reprodução / Instagram)

 

A Secretaria de Defesa Social informou que deve realizar uma entrevista coletiva na manhã desta quarta (12), na sede do órgão, onde deve dar detalhes da investigação, citando inclusive o exame de DNA que usou material genético coletado na arma usada.

A mãe de Beatriz, Lucinha Mota, fez um apelo emocionado em vídeo divulgado ontem nas redes sociais, onde cobra que o indivíduo pague pelo crime e apontou que mais pessoas devem ser responsabilizadas pelo fato do homem ter entrado no colégio onde sua filha estudava sem ser revistado.

 

No decorrer das investigações, um retrato falado do suspeito chegou a ser divulgado (Disque Denúncia)

 

A SDS emitiu uma nota a respeito do caso, confira:

A Secretaria de Defesa Social de Pernambuco, por meio do trabalho conjunto das forças estaduais de segurança pública, chegou, nesta terça-feira (11), ao autor do assassinato da menina Beatriz Angélica Mota, ocorrido em 2015 em Petrolina.

Por determinação do governador Paulo Câmara, a Força Tarefa, criada em 2019 para investigar o caso foi mantida mobilizada até a elucidação deste crime.

A equipe revisitou todo o inquérito e realizou novas diligências. A identificação do suspeito se deu por meio de análises do banco de perfis genéticos do Instituto de Genética Forense Eduardo Campos, realizada no dia de hoje, que identificou o DNA recolhido na faca utilizada no crime.

Em confrontação de perfis genéticos no banco, chegou-se ao DNA do suspeito, que se encontra preso por outros delitos em uma unidade prisional do Estado. Ao ser ouvido pelos delegados da Força Tarefa, confessou o assassinato e foi indiciado.

Secretaria de Defesa Social

 

Desde a época do crime os pais da menina Beatriz Mota cobram por justiça (Reprodução / R7)

Postado por: Walter Miro

Ouça A Polo FM Ao vivo
Siga nossas Redes
Fale Conosco
error: Content is protected !!