11 de novembro de 2020

RESUMÓRIO – com o professor Tenório

DEBATES – O candidato Dida de Nan, que faltou a todos os debates, deve estar aliviado por não ter mais nenhum até o dia da eleição. Foram cinco debates e cinco justificativas para não comparecer. Não sei quem se convenceu com as histórias de compromisso anteriormente agendados ou de que nos debates existiam confusões e trocas de farpas entre os candidatos. A estratégia escolhida foi coroada com o resultado da pesquisa desta quarta-feira que apontou o favoritismo do fujão de debates.

A MARCA – Cada debate foi marcado por algum episódio que deixou uma lembrança na população. Atraso, tranquilidade, presença confirmada com ausência garantida, confusão de assessoria e celular quase desaparecido.

O QUINTO DOS DEBATES – O debate da Rádio Polo quase ficou marcado pelo sumiço de um celular com a capinha verde. Depois de pouco tempo, ficou esclarecido que alguém da equipe havia pegado e não se tratou de desparecimento.

PESQUISAS – Outro debate já certo para o pós-eleição vai ser qual instituto acertou o resultado do pleito. O que acertou não ganha muita coisa não, mas o que errar feio vai virar folclore assim como aconteceu com um na eleição passada.

RESULTADO – A segunda pesquisa registrada nessa eleição de 2020 em Santa Cruz deixou a turma do coração feliz, a turma da esperança com esperança e a outra turma não acredita que o resultado divulgado seja a mudança que o povo quer. Resta saber se o resultado do dia 15 será igual ao da pesquisa.

BEBEU ÁGUA? TÁ COM SEDE? – Com a repercussão da matéria do TCE sobre o faturamento na compra de água mineral em Santa Cruz, as redes sociais foram bombardeadas com o assunto. E tome Timbalada tocando em tudo quanto é postagem. Tá ficando chato feito abrir áudio do gemidão em público.

MAIS UNS E MENOS OUTROS – Sobre o falado pulo de Ernesto Maia, naturalmente, um vereador de quatro mandatos quando muda de grupo político leva os seus mais chegados. Por outro lado, perde o apoio dos mais apaixonados. Se mais ganhou ou mais perdeu, domingo saberemos. Se for eleito, poderá recuperar o título de articulador, mas se tiver uma votação pífia, não se livrará do título de ‘ex-sabido’ já muito comentado entre alguns de seus ex-eleitores.

O QUE FAZER? – Não sei se já passou pela cabeça de Ernesto, mas eu fico muito curioso sobre o que ele deve fazer com a sua coleção de camisas vermelhas, se livrar delas ou guardar para uma recaída? É muito pano envolvido. No discurso de adesão, na live chamada por Carlinhos da Cohab de ‘live da safadeza’, Ernesto disse que se sentia em casa, mas desde aquele dia que preferiu usar o branco em vez do tradicional azul Edson Vieira.

O QUE DIZER? – Muito mais difícil e embaraçoso do que decidir o que fazer com a coleção de camisas vermelhas é decidir o que dizer daqui para frente sobre KMC, água de pipeiro na piscina, coffee break, Cláudio Soares, preço de água mineral entre outras denúncias que ele se orgulha de ter feito. O clichê que não se faz política olhando pelo retrovisor não vai convencer a galera.

COMO VAI SER? – O encontro entre os, agora aliados políticos, Jéssyca e Ernesto foi regado a fotinha juntos. Resta saber como será o encontro de Jéssyca com Socorro Maia, que agora também é gente do coração. Certamente, com um abraço, uma foto e o tratamento de querida. Afinal, a política exige atitudes políticas.

DIRETO DA REDE – “Imagina o cara na rua e vem dois debates em uma moto”.

“Não me queiram mal. Apenas pensem nisso, enquanto lhes digo que fica o dito para ser rido.”

As opiniões aqui expressas são de total responsabilidade do autor

Postado por: Walter Miro

Ouça A Polo FM Ao vivo
Siga nossas Redes
Fale Conosco
error: Content is protected !!