Pesquisar

Guardas Civis de Santa Cruz do Capibaribe farão paralisação de advertência nas rondas ostensivas por 24 horas

 

Representantes do Singmag conversaram com nossa equipe de reportagem para expor seus pleitos (Walter Miro / Blog da Polo)

 

O efetivo da Guarda Civil Municipal irá realizar uma paralisação de advertência por 24 horas a partir de meia-noite desta quarta-feira (21). O motivo da paralisação, de acordo com representantes do Singmag (Sindicato de Guardas Civis e Agentes de Trânsito Municipais do Agreste), é a falta de possibilidade de negociação com o poder público municipal no sentido de melhorias salariais e de condições de trabalho.

Esta é a terceira paralisação dos guardas em três anos consecutivos, em dezembro de 2020 os guardas chegaram a realizar uma parada cobrando o pagamento de salários, em novembro do ano passado houve protestos pela cidade, no entanto, naquela ocasião, a Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe assegurou um aumento de salário, além de um pagamento de adicional de insalubridade.

Desta vez, os representantes do Singmag garantem que estão tentando estabelecer diálogo com a Prefeitura desde junho para que pudessem assegurar um novo aumento, além de melhorias nas condições de trabalho.

“As conversar começaram em junho, lá a justificativa do adiamento foi o São João, depois, insistimos até termos duas reuniões em novembro, aceitamos a uma proposta de aumento da Prefeitura, mas depois eles mesmos nos informaram que não há viabilidade financeira de pagar, apontando o impacto para o município”, afirma o GCM Éder Ramos, representante da entidade trabalhista.

 

Em novembro do ano passado, a GCM realizou protestos nas ruas de Santa Cruz do Capibaribe cobrando melhorias (Walter Miro / Blog da Polo)

 

A partir de meia-noite da quinta-feira, e por 24 horas, apenas 30% do efetivo da GCM que costumeiramente está nas ruas da cidade para prestar o serviço auxiliar de segurança pública estará disponível, com reforço para o resguardo aos prédios públicos, uma das atribuições primordiais da Guarda Civil Municipal, que em virtude da falta de estrutura de outras forças de segurança, acaba ficando em segundo plano.

O comandante Audiélio, da Guarda Civil Municipal concedeu entrevista à Rádio Polo onde se manifestou no sentido de tentar amenizar a situação e evitar a redução das atividades de rua.

Mais informações sobre o movimento, e os posicionamentos do Singmag e do comando da GCM você acompanha amanhã, a partir das 7 horas no programa Cidade Notícia, da Rádio Polo.

Compartilhe agora essa notícia!

Facebook
WhatsApp
Twitter