19 de janeiro de 2022

Dupla de adolescentes é conduzida até a Delegacia de Santa Cruz e confessa autoria de homicídio contra Danilo Nunes

 

Danilo desapareceu na noite da última sexta-feira (Reprodução / Facebook)

 

Na noite desta quarta-feira (19), teve um desfecho trágico o desaparecimento do colunista social Danilo Nunes, trama iniciada na noite da última sexta-feira (14).

Uma dupla de adolescentes de 16 e 17 anos, que acabou sendo conduzida até a Delegacia de Santa Cruz do Capibaribe, confessou a autoria do crime.

Desde o acidente no último sábado envolvendo o carro de Danilo Nunes (relembre clicando aqui), que a Polícia Civil se debruçou sobre o caso, com o objetivo de elucidá-lo.

 

Na manhã do último sábado (15), o carro de Danilo foi encontrado capotado em uma estrada vicinal (Ademilton Silva / Blog da Polo)

 

Após buscas pela cidade nesta quarta, conduzidas pela equipe da Polícia Civil da Delegacia de Taquaritinga do Norte e Malhas da Lei da AIS 17, um dos adolescentes acabou sendo localizado, ele confessou a participação no crime e indicou quem seria outro envolvido no caso, um irmão dele, contra quem inclusive pesa uma acusação de ato infracional análogo a estupro na cidade de Taquaritinga do Norte.

Os dois foram conduzidos até a Delegacia de Santa Cruz do Capibaribe, onde em depoimento, forneceram mais detalhes de como teria acontecido o caso.

Sobre o crime

De acordo com a dupla, Carlos Daniel Pereira (15 anos), o adolescente morto no último sábado (15) teria praticado o homicídio contra Danilo ainda na noite da sexta-feira (14), em Santa Cruz do Capibaribe, no loteamento Maria Vieira. Carlos era primo dos dois outros envolvidos.

 

Segundo os dois adolescentes, Carlos Daniel Pereira teria matado Danilo Nunes (Reprodução / Redes Sociais)

 

O trio teria colocado o cadáver no porta-malas do carro, junto a buchas e retalhos de tecidos, eles seguiram até um pontilhão no acesso ao distrito de Gravatá do Ibiapina (Taquaritinga do Norte), onde atearam chamas no corpo (relembre clicando aqui).

Na volta para Santa Cruz do Capibaribe, pela estada vicinal do Alto da Raposa, que dá acesso ao sítio Jerimum, eles acabaram capotando o caso, ocasião onde Carlos acabou morrendo.

Após as buscas da Polícia Civil, os dois apontados acabaram sendo conduzidos para a Delegacia.

Corpo só deve ser liberado após confirmação de DNA

Mesmo após a autoria confessa do crime e dos detalhes repassados, o cadáver de Danilo só deve ser liberado após a confirmação de exame de DNA ao qual foi submetido no IML do Recife para investigações. O prazo estimado é de 30 dias.

*Atualizada às 23h55.

Postado por: Walter Miro

Ouça A Polo FM Ao vivo
Siga nossas Redes
Fale Conosco
error: Content is protected !!